Openworm é a primeira simulação completa de um organismo vivo

image_pdfimage_print

open_worm

Talvez um dos momentos mais importantes da “biologia digital” atualmente seja o projeto OpenWorm. O objetivo do projeto é nada menos do que simular todo o organismo de uma “c. elegans” até ao nível de cada célula individual.

Como outras iniciativas de crowdfunding, qualquer um pode participar. O Kickstarter do OpenWorm já arrecadou mais de US$ 30.000 com uma meta de US$ 120.000. O OpenWorm é um projeto internacional aberto de ciência para simular as lombrigas “Caenorhabditis elegans” em um nível celular. Embora o objetivo a longo prazo seja modelar todas as 959 células do C. elegans, a primeira fase será modelar locomoção do verme através da simulação dos 302 neurônios e das 95 células musculares.

E porque escolheram o C. Elegan para ser o primeiro organismo vivo totalmente construído em um simulação digital? Porque essa lombriga tem um dos cérebros mais simples de qualquer organismo, com apenas 302 neurônios. Além disso, a estrutura desses neurônios está totalmente mapeada.

Há menos de mil células em todo o corpo de um verme C. elegans, cada uma com um identificador único e literatura de apoio abrangente. Sendo um organismo modelo, o genoma já é totalmente conhecido. Na tentativa de construir um modelo de um organismo relativamente simples virtualmente, novas ferramentas estão sendo desenvolvidas que irão tornar mais fácil modelar organismos mais complexos no futuro.

A neurociência ainda não nos permite compreender o funcionamento do cérebro em um nível de detalhe suficiente para curar doenças como os males de Alzheimer e Parkinson.   Por incrível que pareça, estamos ainda longe de compreender o sistema nervoso de seres simples como o C. elegans!   Se não conseguirmos produzir um modelo computacional de um verme com aproximadamente 1000 células, que dirá do cérebro humano – que possui em torno de 85 bilhões!

Fonte: JOVEM NERD