O segredo deles: ontem estagiário, hoje diretor

image_pdfimage_print

Reunimos profissionais de grandes empresas para contar como conseguiram subir na carreira e passar de estagiário a cargos de direção 

Eles estudaram muito e aproveitaram todas as oportunidades que surgiram ao longo de suas carreiras. Mas nada caiu do céu. Adilson, Wellington, Servino, Fábio, Roberto e Antônio começaram suas carreiras como estagiários, percorreram vários caminhos até chegarem aos cargos de diretoria. A pedido de A GAZETA, esses executivos contaram os segredos que os levaram ao sucesso profissional. Adilson Nico, diretor de planejamento e logística da Vale, por exemplo, tinha o sonho de trabalhar nos trens da mineradora, enquanto Wellington Giacomin, diretor de logística da Fibria, sempre quis ser engenheiro. Conheça as histórias e se inspire nelas.
Adilson NicoO diretor de planejamento e logística da Vale, Adilson Nico, começou o estágio na mineradora em 1987, quando ainda cursava engenharia mecânica. Ele lembra que o ramo de engenharia não estava muito bom e que começou a atuar na área de informática. “Quando formei em 1988, trabalhei como terceiro, como prestador de serviço, até ser contratado pela Vale em 1992. Continuei na área de informática, depois passei por outras como operação de ferrovias até chegar ao cargo em que estou agora”, conta.

Nico lembra que teve a possibilidade de ter várias carreiras dentro de uma empresa. “Não precisei sair. Atuei nas áreas de informática, operação ferroviária e planejamento. Aproveitei as oportunidades e sempre estive preparado para elas. Também investi em capacitação e treinamentos. Fiz a minha parte, e a empresa me ajudou e facilitou este meu crescimento. Sempre pensava no próximo cargo. Aos 15 anos, morava em Linhares e ao pegar o trem olhava o cara que conferia as passagens. Pensava que queria ter um trabalho como o dele. Meu crescimento profissional é motivo de muito orgulho”, comemora.

Faça a sua parte 1 Oportunidades. Aproveite todas as oportunidades, mas para isso esteja preparado para quando elas surgirem. “Fiz minha parte e a empresa me ajudou e facilitou para que eu conseguisse chegar até aqui”.

2 Mérito. “Quer crescer? Dê resultados. As promoções ocorrem mais por meritocracia do que outro motivo.”

Foto: Bernardo Coutinho
Adilson Nico, diretor da Vale, acredita na importância dos resultados

Wellington Giacomin

Já o diretor de logística da Fibria, Wellington Giacomin, aproveitou as férias da faculdade para fazer um estágio de três meses na empresa de celulose. Depois disso, ele conseguiu um outro estágio em uma empresa contratada. Quando terminou o curso de engenharia mecânica, foi contratado pela Fibria. “Agarrei a oportunidade. Quando estudante, a gente faz estágio na área que aparece e vai se adequando ao que for surgindo. Fui crescendo, ocupando postos de gestão. Corri atrás para conseguir todas as oportunidades que surgiram. As empresas valorizam quem tem proatividade”, garante.

Poder passar por todas essas áreas e aprender muito com a experiência, na avaliação de Giacomin, foi decisivo para o crescimento profissional. “A guinada veio quando assumi a gerência industrial da fábrica. Essa promoção tinha a ver com a experiência adquirida e não com a engenharia, minha área de formação”, disse.

Não se acomode1 Relacionamento. “É muito importante ter capacidade de se relacionar com os colegas. Invista também na sua formação e esteja aberto ao novo.”

2 Felicidade. “Nunca fique acomodado. Corra atrás, identifique quais são as pessoas que podem te ajudar e seja questionador sempre. E, acima de tudo, seja feliz com o seu trabalho.”

Foto: Marcelo Duarte / Divulgação
Wellington Giacomin aposta nos relacionamentos

José Augusto Servino

O gerente Geral de Recursos Humanos da ArcelorMittal Tubarão, José Augusto Servino, fazia engenharia mecânica e ainda dava aula de Física e Matemática. Para ele, essa foi uma experiência boa, pois aprendeu a lidar com pessoas. “Com a proximidade da formatura, participei de projetos de pesquisas na Ufes, foi aí que surgiu a oportunidade de estágio na área de pesquisa operacional na Companhia Siderúrgica de Tubarão. Todas essas minhas experiências ajudaram muito. Minha meta de carreira era conseguir entrar em uma empresa grande e foi o que consegui. Tive várias pessoas que acreditaram em mim, pois fazia coisas para ser percebido. Assim conquistei o meu espaço”, lembra.

Por 15 anos, Servino atuou na área de pesquisa operacional. Foi em 1999 que surgiu o convite que mudou sua vida: assumir o cargo de gerente de recursos humanos. “Fiz diversos cursos para atuar na área que não entendia.”

Respeite as pessoas1 Propósito. “Você precisa entender o propósito da organização que você trabalha. Quanto mais o tempo passa, mais as pessoas gostam de você e mais alianças você consegue.”

2 Respeito. “Respeite sempre as pessoas, independentemente da posição hierárquica que elas ocupem. Isso faz com que você seja respeitado e admirado por todos.”

Foto: Bernardo Coutinho
José Augusto Servino: respeito independe da posição

Fábio Battistella

O gerente Industrial da Chocolates Garoto se formou em engenharia de alimentos em Viçosa e recebeu o convite para entrar como trainee na área de fabricação. O primeiro cargo de gerência foi na área de fabricação de Páscoa, depois surgiram outras oportunidades. “Fiz engenharia, mas sempre tive vontade de gerenciar pessoas. Participei de projetos importantes e ocupei cargos que me motivaram a continuar. Hoje minha maior satisfação é gerenciar a fábrica onde tudo começou. Se quiser ter sucesso, a formação é o primeiro passo. Qualificação e comportamento são a chave do sucesso”, garante.

Faça o que gosta1 Paixão. O mais importante é gostar do que se faz. “É preciso engajamento, pois haverão momentos bons e ruins. Também é importante que a empresa tenha os mesmos valores que você.”

2 Formação. ”Invista na formação, sem se esquecer do lado comportamental.”

Foto: Carlos Alberto Silva – GZ
Fábio Battistella, da Chocolates Garoto: engajamento é fundamental

Antônio Gonçalves

Quando ainda era estagiário, o diretor de engenharia da Proeng atuava nas obras da construtora. As oportunidades foram surgindo e ele foi aproveitando. Quando se formou já eram quatro obras sob o seu comando. “Assumi essa responsabilidade dentro do meu potencial. Com seis anos de formado fui promovido a gerente de acabamentos. Tinha pessoas mais velhas do que eu sob a minha supervisão. Quando soube que havia a vaga de gerente de engenharia, pedi para fazer um teste. Nunca tive medo de desafios. Aproveitei todas as chances e também busquei conhecimento. É importante ter humildade, honestidade e acreditar em você”, ressalta.

Seja honesto1 Honestidade. “Tenha honestidade e humildade, sempre acreditando em você. Nunca deixe passar alguma oportunidade. Lembre-se que muitos querem ter essas chances também.”

2 Dedicação. “Com dedicação e empenho, sempre vão surgir as oportunidades que você deseja. Nunca tive medo dessas oportunidades.”

Foto: Divulgação
Antônio Gonçalves ressalta a força da dedicação

Roberto Fanti 

Do grupo de seis executivos, apenas o gerente de Desenvolvimento Humano e Organizacional do Vitória Apart Hospital não começou sua carreira onde hoje ocupa um cargo de diretoria. No entanto, a vida profissional de Roberto Fanti começou aos 15 anos na Escelsa, como menor assistido, hoje conhecido como menor aprendiz.

“Estagiava em Linhares quando surgiu a chance de voltar para Vitória, na área de RH. Fiquei na empresa por 15 anos, depois atuei como consultor, trabalhei na área industrial até chegar aqui. Sempre tive pessoas especiais na minha vida, e isso ajudou a superar as dificuldades. Investi no meu desenvolvimento. Parte de nossa carreira a vida dá para gente, mas somos nós que escolhemos aonde queremos chegar. Conheci muita gente com futuro bacana que se acomodou. Comecei entregando talão de luz. Fazia curso técnico em eletrotécnica quando descobri como é bom cuidar de pessoas. Depois passei para o curso técnico de administração e, depois, pela faculdade. O segredo do sucesso é ser persistente e agarrar as chances que aparecem”, avalia.

Seja persistente

1 Perseverança. “Seja persistente, não deixe as oportunidades passarem. Invista no seu desenvolvimento pessoal e tenha a seu redor sempre pessoas que podem te ajudar.”

2 Alegria. “Todo mundo trabalha por dinheiro, mas a vida profissional tem outro lado que é gostar do que se faz. O essencial é fazer a atividade de forma alegre.”

Foto: Ricardo Medeiros
Roberto Fanti diz que gostar do que faz é importante 

 

Fonte: GAZETA ONLINE