Falta de profissionais especializados ameaça futuro do Cobol

image_pdfimage_print

Embora muitos professores universitários considerem plataforma ultrapassada, 70% das aplicações críticas estão baseadas nesta linguagem.

O futuro de Cobol não está ameaçado pelo abandono dessa tecnologia pelas empresas, mas pela falta de profissionais com domínio desta linguagem de programação, constata estudo global da Micro Focus.

De acordo com o relatório, 14% dos professores universitários do mercado mundial consideram Cobol uma tecnologia ultrapassada. Como consequência disso 73% dos estudantes de ciência da computação não têm acesso à programação Cobol em seu currículo.

Na contramão desse movimento, pelo menos 71% das grandes organizações disseram que vão continuar criando aplicativos para essa plataforma nos próximos 10 anos.

São dados preocupantes, especialmente se considerarmos que a cada dia a plataforma Cobol suporta 90% dos sistemas de negócios das empresas da Fortune 500, ou seja, das maiores empresas do mundo. Da mesma forma, 70% da lógica de negócios críticos são escritos nessa língua.

No entanto, muitos críticos afirmam que essa linguagem já não é aplicada no desenvolvimento de software. Mas os números, principalmente prestados pela Micro Focus, mostram que ocorrem todos os dias mais 200 transações de Cobol, mas que as buscas pelos sites Google+ e YouTube, dois dos portais mais visitados.

Além disso, 1,5 milhões de linhas de código Cobol são escritas todos os dias, com um investimento total neste campo de mais 5 de milhões de dólares e emprega dois milhões de pessoas em todo o mundo.

A arquitetura Cobol aparece com base nesses dados em quase todos os setores da economia. Assim, esta linguagem conecta atualmente 500 milhões de usuários de telefonia móvel a cada dia.

Na saúde, os aplicativos Cobol gerenciam o atendimento de 60 milhões de pacientes a cada dia, enquanto na área comercial a plataforma processa 85% de todas as transações de negócios por dia. Hoje, 95% de todas as operações em caixas eletrônicos usam essa linguagem.

Os aplicativos Cobol estão envolvidos também no transporte de 72 mil containers e processa 85% das operações portuárias. A tecnologia permite a reserva de 96 mil pacotes de viagem por ano e transaciona 80% de todas as operações dos pontos de vendas, segundo revela o estudo da Micro Focus.

No Brasil, Cobol está presente nas operações do sistema financeiro e em diversas companhias de grande porte como é o caso das operadoras de telecomunicações. Aqui muitos universitários dos cursos de tecnologias nunca estudaram essa linguagem em razão de a tecnologia não fazer parte da grade curricular.

Por essa razão, algumas empresas como IBM criaram programas para incentivar professores e os futuros talentos de TI a se interessarem pelas plataformas do mundo mainframe. Elas temem que os cobolistas veteranos se aposentem e não tenha sangue novo para substituí-los.

Fonte:  IDGNOW