Copa pode ter até 106 naturalizados: pré-lista da Argélia conta com 21

image_pdfimage_print

Seleção africana poderá jogar Mundial com apenas dois atletas nascidos no país. Dos 960 pré-convocados, 11,1% adotaram outra nacionalidade para disputar a Copa.

Diego Costa no treino do Atletico de Madrid (Foto: EFE)
Diego Costa puxa a lista dos brasileiros naturalizados na Copa do Mundo (Foto: EFE)

Na hora que o hino tocar antes dos jogos da Copa do Mundo, boa parte dos atletas no gramado poderá ficar sem cantar a letra inteira. Dos 960 jogadores pré-convocados para o torneio, 106 (11,1%) são naturalizados e poderão até enfrentar seus países de origem. Entre as equipes que disputarão o Mundial, somente Brasil, Rússia, Colômbia, Honduras e Coreia do Sul não contam com nenhum atleta naturalizado em suas relações de 30 jogadores enviadas à Fifa. O time com mais “estrangeiros” é a Argélia, que conta com 21 franceses na pré-lista do técnico Vahid Halilhodzic.

Além dos que atuarão pela seleção argelina, a França ainda tem jogadores espalhados pelas seleções de Camarões, Costa do Marfim, Argentina, Portugal e Gana, chegando a 33 jogadores que preferiram defender outro país na Copa. A Alemanha aparece logo depois como a principal fornecedora de mão de obra, com 15 atletas naturalizados. O Brasil, que conta com casos polêmicos como o atacante Diego Costa, que optou pela Espanha, e, recentemente, o volante Rômulo, convocado pela Itália, pode ter até oito jogadores defendendo outras seleções na Copa em casa.

Info Naturalizados de outros PAÍSES (Foto: Editoria de arte)

01

BRASILEIROS PELO MUNDO

Sammir pela Croácia (Foto: Getty Images)
Sammir pode jogar a abertura da Copa pela Croácia contra o Brasil (Foto: Getty Images)

Logo no primeiro jogo do Mundial de 2014, dois brasileiros naturalizados croatas poderão enfrentar o Brasil. O atacante Eduardo da Silva, que aos 17 anos foi para o Dínamo Zagreb, deve ser presença na convocação final do técnico Niko Kovac. Outro brasileiro que poderá entrar em campo é o meia Sammir, do Getafe.

O jogador de 27 anos passou pela base do Atlético-MG e Atlético-PR e em 2007, após defender o Paulista, foi para o Dínamo Zagreb, onde foi um dos destaques da equipe. Em 2012 recebeu o convite para jogar pela Croácia. Apesar da presença na pré-lista, Sammir ainda não está confirmado por Niko Kovac na convocação final.

O caso de maior repercussão entre os brasileiros que podem defender outras seleções na Copa de 2014 é o de Diego Costa. O sergipano chegou em Portugal aos 16 anos e agora está no Atlético de Madrid, atual campeão espanhol. Por conta das boas temporadas pelos colchoneros, Diego foi convocado para dois amistosos pelo técnico Luiz Felipe Scolari e atuou por 33 minutos com a amarelinha. Apesar disso, como não eram partidas oficiais, o atacante pôde fazer a escolha pela Espanha e está na pré-lista de Vicente del Bosque.

Na Itália, os volantes Thiago Motta e Rômulo são os representantes do Brasil. Thiago fez sua base no Juventude e chegou ao Barcelona B com 18 anos. O volante foi convocado para as seleções do Brasil sub-17 e sub-23, mas na transição para a seleção principal, optou pela italiana. No caso de Rômulo, o volante de 26 anos do Verona chegou à Itália somente em 2011, para defender a Fiorentina.

Rômulo Hellas Verona (Foto: Agência Getty Images)
Rômulo foi pré-convocado pelo técnico Cesare Prandelli (Foto: Agência Getty Images)

No Brasil, ganhou destaque na Chapecoense em 2009, quando foi vice-campeão catarinense. Passou por Cruzeiro e Atlético-PR antes de ir para o futebol italiano, onde foi chamado para a lista inicial do técnico Cesare Prandelli. Entretanto, Rômulo ainda terá que mostrar serviço para ter presença garantida na lista final.

O zagueiro luso-brasileiro Pepe é outro caso de quem teve poucas chances no Brasil e aos 17 anos deixou o Corinthians-AL para fazer carreira no futebol português, defendendo o Monte Agraço. Em 2007, em seu último ano pelo Porto, o zagueiro se naturalizou português e recebeu as primeiras convocações para a seleção lusa.

Fechando a relação de brasileiros naturalizados está o zagueiro Marcos González, que vestirá a camisa da seleção chilena. O ex-jogador do Flamengo nasceu no Rio de Janeiro, mas a família mudou-se para o Chile quando ele tinha apenas um ano de idade. Gonzalez fez sua carreira no futebol chileno e ganhou espaço na seleção.

02