Conheça uma forma independente de conseguir financiamento para o seu projeto: o crowdfunding

image_pdfimage_print

crowdfunding_2

Em um mundo de constantes transformações e tecnologia cada vez mais evoluída, o que mais aparecem diariamente são ideias de novos projetos. Serviços inovadores, aplicativos para celulares que prometem resolver problemas do dia a dia, produtos revolucionários, enfim.. todo dia alguém surge com uma brilhante ideia de algo que poderá melhorar a vida de milhões de pessoas. Mas daí surge um grande problema: como tirar a minha ideia do papel, se eu não tenho recursos financeiros para bancar o projeto?

Existem diversas formas de se financiar o desenvolvimento de uma ideia. Desde pedir dinheiro emprestado para um parente ou para um banco (o que geralmente sai caro), ou mesmo buscar alguma iniciativa de aceleração, investimento anjo, venture-capital, etc. No entanto, todas estas modalidades criam algum laço de dependência entre você (o empreendedor) e quem coloca dinheiro no projeto (o investidor). Utilizando alguma das formas citadas acima, você assume uma dívida com alguém que será cobrada em forma de juros ou mesmo em forma de participação na sua nova empresa ou nos lucros do projeto. Nada mais justo, já que o investidor está acreditando em um projeto que ainda nem existe e ele certamente deverá ser recompensado pelo risco.

No entanto, uma forma de financiamento que vem ganhando muito espaço e que resolve esse “problema” de dependência de um único investidor, é o chamado crowdfunding (traduzido em português como “financiamento coletivo” ou “financiamento colaborativo“).

Crowdfunding é o financiamento de um projeto a partir de colaborações coletivas, ou seja, de diversas pessoas que se interessam pelo produto daquele projeto ou simplesmente apoiam a causa. Já existem diversas plataformas na internet para este fim, em que as pessoas entram, vêem as informações sobre o projeto (descrição, detalhes técnicos, fotos, vídeos, depoimentos, etc) e, caso se interessem, podem colaborar com dinheiro em troca de alguma vantagem. Em geral, são oferecidos planos de aquisição do próprio produto / serviço que está sendo financiado, com descontos em relação ao preço em que o produto será lançado no mercado. Ou seja, você como financiador do projeto, terá em troca a possibilidade de adquirir aquele produto a um preço mais baixo (que na maioria dos casos costumam ser descontos bem interessantes). O princípio básico do crowdfunding, segundo Vinicius Maximiliano (autor da primeira obra literária no Brasil sobre o tema), é pedir doações em troca de prêmios para pessoas que desejam que o objetivo seja alcançado. Um grande valor rateado por milhares de pessoas torna-se muito pouco para quem contribui, porém muito para quem, somando todas as contribuições, recebe.

No Brasil, costuma-se utilizar muito o crowdfunding para causas diversas como, por exemplo, arrecadação de dinheiro para artistas (para lançamento de discos, livros, peças de teatro, etc), jornalismo cidadão, campanhas políticas, iniciativas de software livre, filantropia, ajuda a regiões atingidas por desastres, etc. Ou seja, projetos de cunho social. Já nos Estados Unidos, o crowdfunding tem um perfil mais voltado mais para o desenvolvimento de produtos que vão ajudar a melhorar a vida das pessoas.

Em geral, as plataformas de crowdfunding estipulam uma meta de arrecadação que deve ser atingida para que o projeto seja viabilizado. Caso os recursos arrecadados sejam inferiores à meta, o projeto não é financiado e o montante arrecadado volta para os doadores.

Cada uma das plataformas de crowdfunding possui características próprias, de acordo com cada país, já que a existência de legislação especifica sobre o tema ainda é bastante restrito. Todos os segmentos porém, já possuem referências mundiais e projetos bem sucedidos, em todas as esferas.

Principais plataformas de crowdfunding pelo mundo

Há algum tempo, publicamos um artigo indicando as principais plataformas de crowdfunding do Brasil. Para acessar este artigo, clique aqui. A seguir, apresentamos algumas das plataformas mais utilizadas no mundo, e que geralmente, possuem uma oferta de projetos de melhor qualidade:

Indiegogo

indiegogo

Lançado em 2008 com foco em financiamento de projetos cinematográficos, o Indiegogo foi uma das primeiras plataformas de crowdfunding e continua sendo uma das mais populares e uma das que mais recebem contribuições. Em 2014, a plataforma foi expandida para englobar qualquer tipo de projeto, sendo que hoje a maioria dos projetos são produtos tecnológicos. A plataforma cobra uma taxa alta de 9% se a campanha não atingir a meta, porém se o projeto atinge a meta, a taxa cai para 5%.

Kickstarter

kickstarter

Uma das mais conhecidas e talvez o maior site de crowdfunding do mundo, o Kickstarter já financiou 67,000 projetos e já levantou mais de 1 bilhão de dólares desde seu lançamento em 2009. Alguns dos seus mais famosos projetos incluem o “Pebble e-paper watch“, o “Ouya gaming console” e o filme “Veronica Mars“. Para poder ter seu projeto exibido no Kickstarter, é preciso atender uma série de critérios, pois a avaliação por parte da equipe da plataforma é bem rigorosa. O site cobra uma taxa de 5% por projetos que atingem a meta.

GoFundMe

gofundme

No GoFundMe, você encontrará mais projetos pessoais do que projetos com objetivos comerciais, como por exemplo levantar dinheiro para a o tratamento ou cirurgia de alguma pessoa doente ou mesmo colaborar para as férias de uma família. Ou seja, é basicamente uma plataforma voltada para doações de cunho social. Reconhecida como a maior plataforma do mundo voltada para financiamento pessoais, o GoFundMe já levantou cerca de 400 milhões de dólares, incluindo mais de 3 milhões para as vítimas dos atendados a bomba da Maratona de Boston em 2013. Como o foco da plataforma são projetos pessoais e iniciativas de filantropia, o site costuma atrair muitas iniciativas musicais e cinematográficas. O GoFundMe deduz 5% de cada doação e cobra uma taxa de processamento de 3%.

Fontes: FORBES, WIKIPEDIA