As gafes que você pode cometer ao fazer negócios em 9 países

image_pdfimage_print

gafes_negocios_exterior

Quando se trata de fazer carreira e negócios em outros países, conhecer e adequar o comportamento à cultura local é um dos primeiros passos para não cometer gafes.

 É que uma atitude, que pode parecer inofensiva no Brasil, pode criar um “climão” lá fora. Tenha sempre em mente que códigos da boa conduta mudam de um país a outro.

 Por isso, com base em regras selecionadas pela Zendesk, EXAME.com pediu à consultora de comportamento e etiqueta internacional, Maria Aparecida Araújo, diretora geral da Etiqueta Empresarial, que explicasse algumas atitudes que podem pegar mal em reuniões de negócios e comprometer a convivência com estrangeiros. Confira:

Austrália

meninas seguram bandeira da Austrália

Gafe 1: Atrasar. “Pontualidade é básico e espera-se isso de qualquer visitante”, diz Maria Aparecida. Em alguns países, no entanto, como México, Grécia e Espanha e também no mundo árabe, por exemplo, é possível que o anfitrião faça o visitante esperar, segundo ela. “São mais flexíveis quanto a isso”, diz.

Gafe 2: Não pagar uma rodada de bebidas para os colegas em um bar. “Se a pessoa for ficar menos tempo que os colegas, deve reivindicar a sua vez de pagar logo no começo da noite”, diz.

China

Pessoas observam lanternas tradicionais decorando o Yuyuan Garden, em Xangai, China

Gafe 1: Sair da sala primeiro, após uma reunião com uma comitiva de chineses. Os membros da comitiva devem ter a prioridade para deixar a sala. “No protocolo chinês, a precedência é sempre da própria comitiva chinesa”, afirma.

Gafe 2: Cumprimentar com abraços e beijos. Prefira sempre o aperto de mão.

Gafe 3: Deixar as varetas dentro da vasilha de comida e não deixar um só grão no prato. “É indicado deixar um pouco de comida para não dar a impressão de que ainda está com fome e as varetas  devem ser apoiadas ao lado da vasilha”, diz ela.

Alemanha

Bandeira da Alemanha

Gafe 1: Fazer piadas ou colocações engraçadas em reuniões de negócios. Cuidado com o senso de humor. Em reuniões de negócios não é algo apreciado.

Gafe 2: Entrar antes do que as pessoas mais velhas em uma sala de reuniões. “No Ocidente, a ordem da precedência é: idosos, mulheres, homens e crianças”, diz Maria Aparecida.

Gafe 3: Não acenar a cabeça durante um aperto de mão. “É sempre mais gentil olhar para o rosto da pessoa, sorrir e acenar a cabeça ao apertar a sua mão”, diz.

França

Bandeira da França

Gafe 1: Não pedir desculpas por não falar francês. “Franceses apreciam muito que se fale o idioma deles”, diz Maria Aparecida.

Gafe 2: Apressar um almoço. “O ato de comer é valorizado e dedica-se tempo a ele”, diz a especialista. Almoço de duas horas é comum.

Índia

Bandeira da Índia

Gafe 1: Não tirar os sapatos, antes de entrar na casa de alguém. “Ao entrar também agradeça, pois é bem-vindo”, diz.

Gafe 2: Dizer não a um convite ou proposta, logo de cara. Prefira expressões como: “vou pensar” ou “consultarei outras pessoas antes”.

Gafe 3: Pedir carne de boi em refeição ou dar artigos de couro de presente. Bovinos são considerados sagrados no hinduísmo.

Japão

Bandeira do Japão

Gafe 1: Dizer não, tão logo receba proposta ou convite (assim como é na Índia). No mundo asiático,  “não” é uma palavra feia e deve ser amenizada com expressões que não mostrem a recusa imediata, segundo Maria Aparecida.

Gafe 2: Descuidar do embrulho ao presentear alguém. Japoneses valorizam muito a apresentação do presente porque o que importa é a intenção e não o valor em si. “Ao receber um presente, também não destrua a embalagem”, recomenda a especialista.

Gafe 3: Servir-se de bebida sozinho. A recomendação é esperar que alguém o sirva. “Uns servem saquê aos outros, numa troca de gentilezas. Levante o copo até a altura da boca usando as duas mãos e, antes de beber, faça uma pequena reverência de cabeça para agradecer”, recomenda a especialista.

Gafe 4: Deixar comida no prato. Comer tudo o que está no prato indica que a comida é boa, explica Maria Aparecida. Portanto, não deixe restos.

Nova Zelândia

Um homem segura a bandeira da Nova Zelândia durante cerimônia de 22 de fevereiro de 2012

Gafe 1: Chegar atrasado a uma reunião. Pontualidade também uma questão essencial de etiqueta por lá.

Gafe 2: Falar de negócios em um jantar. “Se for preciso introduza o assunto só a partir da metade da refeição”, diz Maria Aparecida. Jantares, em geral, são momentos para confraternização.

Reino Unido

Bandeira do Reino Unido

Gafe 1: Vestir camisas sociais com bolso. “Se a camisa tiver bolso, melhor deixá-lo sempre vazio”, diz Maria Aparecida.

Gafe 2: Apostar em contato olho no olho. “Olhar as pessoas diretamente nos olhos pode ser invasivo. A regra é olhar para o conjunto do rosto”, diz Maria Aparecida.

Gafe 3: Erguer um brinde sem ser a pessoa mais velha da mesa. “Vale lembrar que, no mundo empresarial, é a pessoa mais importante na hierarquia quem propõe o brinde”, diz Maria Aparecida.

Fonte: EXAME