9 dúvidas que você sempre quis tirar sobre a poupança

image_pdfimage_print

hand putting euro coin into pink piggy bank, isolated on white

Caderneta

Mesmo sendo o investimento mais popular do Brasil, alguns detalhes sobre a caderneta de poupança ainda são um mistério para muita gente. O que é a tal de Taxa Referencial (TR) que compõe a sua remuneração, quais os riscos envolvidos, e se ela realmente pode fazer um bom trabalho pelo seu dinheiro são algumas das questões que ainda deixam os investidores menos experientes com cara de interrogação.

Veja nesta galeria nove vídeos que explicam os detalhes do funcionamento da poupança, o que ela pode fazer pelo seu bolso e quando vale a pena trocá-la por alguma aplicação financeira mais vantajosa.

Por que o rendimento da poupança nunca é igual?

Talvez você não tenha reparado, mas o rendimento da poupança muda mês a mês. Dependendo do valor investido, pode ser difícil notar, mas quem tem uma quantia relevante na caderneta a diferença pode perceber mais facilmente. Caso você queira comprovar, basta fazer uma simulação do rendimento da poupança para um mesmo valor em meses diferentes. A Calculadora do Cidadão do Banco Central pode ajudar. Assista o vídeo e entenda por que o rendimento da poupança sempre muda.

O risco da poupança pode variar de um banco para outro?

Apesar de ser o investimento preferido dos brasileiros, a caderneta de poupança não é 100% segura. Assim como qualquer outra aplicação financeira, ela tem seus riscos. Veja no vídeo de André Massaro, consultor financeiro e autor do blog “Você e o Dinheiro”, se o risco da poupança pode variar entre diferentes bancos.

A poupança é tão ruim assim?

Especialistas em finanças pessoais e investidores mais experientes são críticos ferrenhos da caderneta de poupança. Mas, por outro lado, esse é o investimento mais popular do Brasil. Veja no vídeo por que a poupança é tão criticada e entenda se ela é assim tão ruim quanto dizem por aí.

Dá para ficar rico só investindo em poupança?

Apesar da segurança e da praticidade, os retornos da poupança são baixos em relação a outras aplicações. Mas não há quem não sonhe com alguma fortuna aplicada na poupança e que renda, por mês, alguns milhares de reais que possam ser usados como “salário”. Para os mais conservadores, a poupança é uma forma eficiente de acumular riqueza? Veja no vídeo a resposta de André Massaro,

Ainda devo me esforçar para preservar a poupança antiga?

Os valores aplicados na poupança até o dia 3 de maio de 2012 ainda são remunerados pela antiga regra de remuneração, de 0,5% ao mês mais Taxa Referencial (TR). Mas será que vale a pena pena manter seu dinheiro por lá? Veja a resposta no vídeo de Paulo Bittencourt, diretor técnico da Apogeo Investimentos.

Por que somos tão apegados à poupança?

Mesmo com um rendimento que chega a perder da inflação em alguns períodos, a poupança é a primeira opção de investimento para a maioria dos brasileiros. Mas o que explica essa paixão nacional pela caderneta? Veja no vídeo de André Massaro.

Quais as alternativas mais seguras à poupança?

A poupança é o investimento preferido dos brasileiros. Mas quem realmente se preocupa em obter o melhor que o mercado financeiro oferece pode encontrar outras aplicações financeiras que além de oferecer segurança, também podem proporcionar melhores retornos ao investidor. Veja quais são esses investimentos, segundo Samy Dana, professor da Fundação Getúlio Vargas.

Como começar a investir fora da poupança?

Com um rendimento na casa dos 6% ao ano, a poupança deixa a desejar em termos de rendimento. Mesmo assim, tem quem não abandone a caderneta por nada por desconhecer alternativas de investimento mais rentáveis e com riscos igualmente baixos. Veja no vídeo do consultor financeiro Mauro Calil algumas opções de aplicações para começar a se desgarrar da poupança.

Quando devo trocar a poupança por um CDB?

Quem está insatisfeito com a remuneração da poupança pode trocá-la por um Certificado de Depósito Bancário (CDB), papel de renda fixa emitido por bancos. Os CDBs oferecem a mesma segurança da caderneta e podem garantir remunerações maiores com a mesma facilidade de resgate, mesmo sendo tributados. Veja no vídeo de Paulo Bittencourt quando é vantajoso fazer essa troca.

Fonte: EXAME