5 cuidados para encontrar o coach certo para sua carreira

image_pdfimage_print

coach_carreira

Se você pensa em fazer sessões de coaching para desenvolver uma competência ou mudar uma atitude em relação à vida ou ao trabalho, o primeiro passo – e talvez o mais importante – é encontrar o “treinador” certo para você.

O perigo é cair nas mãos de picaretas, ainda mais com a recente popularização dos serviços de treinamento e consultoria em carreira no Brasil. “Como é muito recente no Brasil, o coaching ainda é confundido com outras propostas, como mentoria ou counseling, ou com pura enganação”, afirma Liamar Fernandes, da Sociedade Brasileira de Coaching.

Por conta da desinformação, é comum que se compre gato por lebre. “Muitas pessoas acabam gastando dinheiro com quem não tem sequer um curso na área”, diz.

Segundo Homero Reis, a situação do coaching é parecida com a da psicanálise. “São atuações reconhecidas, mas não são reguladas por ninguém”, explica ele.

Se você quer fugir de oportunistas e encontrar alguém apto a entregar o que você procura, é preciso tomar algumas precauções. Veja a seguir as medidas sugeridas pelos coaches ouvidos por EXAME.com:

1.Saiba quais são as principais escolas da área
O primeiro cuidado é ser exigente quanto ao currículo do seu possível coach. “Observar se a instituição que ele frequentou tem tradição no mercado e conta com um código de ética”, recomenda Liamar.

2. Não confunda formação com filiação
Outro cuidado é dar mais atenção à escola em que o coach se formou do que aos institutos dos quais ele é membro. De acordo com Reis, ser filiado a uma instituição não necessariamente diz muito sobre a competência do coach. “Quem capacita e certifica é a escola”, afirma ele.

3. Avalie a experiência do profissional
Reis explica que há coaches com diversos níveis de senioridade no mercado. “Há trainees, juniores, plenos, seniores e masters”, diz ele. Graças à sua experiência, os mais maduros costumam ter mais prestígio – e também cobrar mais. A dica é avaliar o custo-benefício de contratar um profissional com mais ou menos anos de carreira.

4. Prefira um especialista, se for o caso
Segundo Liamar, os profissionais especializados em um determinado tipo de coaching não necessariamente são melhores do que os generalistas. Por outro lado, Reis diz que é importante atentar para o perfil e a identidade de cada coach. “Se você busca o serviço por ter uma demanda muito específica, é bom procurar alguém com histórico de atendimento especializado”, comenta ele.

5. Marque um encontro
Liamar recomenda fazer pelo menos uma entrevista presencial com o seu possível coach. “É só com esse contato, olho no olho, que você vai conseguir avaliar se há empatia entre vocês”, afirma. Segundo ela, só esse “clique” permitirá estabelecer uma relação de confiança mútua – condição essencial para que apareçam frutos do trabalho no futuro.

Fonte: EXAME