Torcedor chegará ao Itaquerão mesmo com greve, diz governo

image_pdfimage_print

Representantes do governo do Estado e o prefeito Fernando Haddad garantem que greve do metrô não impedirá torcedores de chegarem ao estádio. CPTM deverá absorver fluxo.

greve_sp

Com a greve dos metroviários em seu 5º dia – e faltando apenas três para São Paulo receber a abertura da Copa do Mundo -, permanece em aberto como a cidade vai fazer para transportar os 68 mil torcedores que irão assistir à partida em Itaquera se a paralisação continuar.

Isso não será um problema incontornável, na avaliação do governo estadual.

Segundo Roberto Arantes, coordenador de Relações Institucionais da Secretaria Estadual de Transporte Metropolitano, há um plano B pronto para ser posto em prática.

“Nós não podemos divulgar como seria esse plano de contigência até por questões de segurança, mas ele existe e está pronto para ser aplicado”, disse o coordenador ao apresentar os planos operacionais para a Copa nesta segunda-feira.

“Nós aguardamos que o Sindicato dos Metroviários atenda a decisão de retorno ao funcionamento”, afirmou o prefeito Fernando Haddad, que também mostrou confiança que as pessoas conseguirão chegar ao estádio mesmo que a greve se mantenha.

Para chegar à Arena Corinthians, o torcedor terá duas opções: trem ou metrô, dependento do setor do estádio marcado em seu ingresso. Quem tem ingresso para o setor oeste, deve usar o metrô e descer na estação Artur Alvim, na Linha 3- Vermelha.

Já quem estiver no setor leste, deve pegar o Expresso da Copa – que faz o trajeto Luz-Corinthians Itaquera a cada 8 minutos – ou a Linha 11 – Coral até a estação Corinthians-Itaquera, que parte a cada 4 minutos.

“Em relação ao Expresso da Copa não há nenhuma preocupação, vai funcionar em plena capacidade”, garantiu Roberto Arantes.

Segundo ele, mesmo que o metrô não esteja funcionando, o Expresso da Copa e o trem regular da CPTM darão conta de levar todos os torcedores ao estádio. “Nós temos segurança que a CPTM conseguirá absorver todos esses torcedores”, disse.

“Na operação Copa, já está previsto um transporte maior por CPTM que por metrô. Tudo isso foi planejado muito antes da greve, por isso um possível impacto não seria tão grande”, explicou Raquel Verdernacci, coordenadora executiva do Comitê Paulista para a Copa.

Segundo ela, de 20 a 25 mil torcedores têm ingressos para o setor oeste e utilizariam o metrô para chegar até ao estádio. Isto é, cerca de um terço das pessoas que vão ao estádio seriam afetadas caso a greve continue até quinta-feira.

Fonte: EXAME