Governo federal lança rede social pública voltada aos jovens

image_pdfimage_print

Site ainda é uma versão experimental. Plataforma permite interação entre internautas, redes sociais e blogs.

observatorio_participativo

O governo federal lançou recentemente, em caráter experimental, uma rede social pública voltada aos jovens brasileiros. Desenvolvida pela Secretaria Nacional da Juventude, em parceria com universidades federais, o “Participatório” – Observatório Participativo da Juventude – permite a integração com outras redes sociais e blogs.

Segundo o ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, o novo ambiente virtual “amplia a participação da juventude e da sociedade no governo federal”.“No nosso juízo, [a ferramenta] será muito importante para que os internautas e as redes sociais possam ser consultados, possam dar opiniões, criticar, protestar, enfim, ter um canal direto, ágil e moderno de diálogo com o governo federal”, disse o ministro.

O site apresentado ainda é uma versão beta – versão experimental da plataforma. Conforme Carvalho, a versão definitiva da rede social será lançada pela presidente Dilma Rousseff depois de concluída a fase de testes.”Vamos esperar um pouco, ver como os testes irão se dar. Em um dado momento, quando houver uma segurança, faremos o lançamento definitivo, com a participação, obviamente, da presidente, dialogando com os internautas”, destacou o ministro. Mesmo antes do lançamento oficial da plataforma, já é possível acessar a ferramenta por meio do link www.participatorio.juventude.gov.br.

Segundo o governo, qualquer cidadão, independentemente da idade, pode entrar na rede social pública. A Secretaria Nacional da Juventude prevê que, além dos jovens, movimentos sociais, pesquisadores e parlamentares também terão interesse de usar a ferramenta.Para interagir com outros internautas por meio do site, antes é preciso se cadastrar. Depois do cadastro, o usuário pode atualizar seus dados de perfil, subir e baixar arquivos multimídia, participar de chats, fóruns e debates.

O ingresso no ambiente virtual do governo também poderá ser realizado a partir da rede social Facebook ou do microblog Twitter. O design e o desenvolvimento do site foram construídos com softwares livres e com códigos abertos, o que permite que outros desenvolvedores possam alterar e ajudar na construção da plataforma virtual.

Fonte: ANONYMOUS