Dois erros no currículo podem eliminar um candidato

image_pdfimage_print

erros_curriculo

Segundo uma pesquisa da empresa de recrutamento Robert Half, apenas dois erros de digitação no currículo são suficientes para desconsiderar um candidato em um processo seletivo. De acordo com o levantamento, 46% dos gestores seniores entrevistados nos Estados Unidos afirmaram que tomariam tal atitude. Para 17% dos executivos, uma falha já justificaria a exclusão do profissional. Apenas 9% disseram que permitiriam quatro ou mais erros antes de eliminar um candidato. “A tolerância ao erro está atrelada à exigência da posição. Entre os gestores brasileiros, ela costuma ser baixa. O tipo de erro conta mais do que a quantidade”, considera Sócrates Melo, diretor de operações da Robert Half.

Os erros de digitação mais comuns são os relacionados a datas e à concordância gramatical. Melo alerta para o fato de que um currículo cheio de falhas transmite ao recrutador a impressão de baixa qualificação do candidato. “As falhas mostram falta de atenção e de preparo do profissional”, diz. “A análise de um currículo passa por vários aspectos, desde formação, idioma, experiência profissional, localização e realizações. O documento deve comunicar as informações de forma clara e objetiva, contendo, no máximo, duas páginas”, completa.

A pesquisa da Robert Half revela, no entanto, um aumento na tolerância dos gestores ao longo do tempo. Em 2006, um erro no currículo seria necessário para eliminar um candidato, segundo 47% dos entrevistados – em 2014, apenas 17% o fariam.

Fonte: EXAME